Header Ads

CÔYSAS DA PAIXÃO [Capítulo #1] – Pré-nupcial



Dona Côysa olha seu vestido de noiva pelo espelho, e fica extasiada. O fotógrafo tira fotos e mais fotos e mais fotos. Dona Côysa abre o sorriso mais escancarado.

A repórter pergunta

REPÓRTER: E é verdade que seus filhos trabalhavam para seu noivo, Dr. João Alcaçuz Dinheireri?

DONA CÔYSA (exageradamente sorridente): É verdade sim! Foi assim que nós nos conhecemos. Hoje meus dois filhos trabalham nas filiais da Dinheireri Corporation em Gibraltar e na Suíça. São homens de confiança do meu amorzinho ♥ ♥ ♥

REPÓRTER: E o que a senhora tem a dizer aos que fazem fofoca falando que a senhora quer dar o golpe do baú?

DONA CÔYSA: Minha filha, eu tenho 55 anos de idade! Minha época de dar o golpe do baú já passou. Meu amorzinho podia se casar com uma mulher beeeeeeem mais nova que eu. Mas preferiu a mim, né meu bem! Tô preparada pro recalque darrrr novinha!

REPÓRTER: Bem, é isso! Sua entrevista ficou maravilhosa, Dona Côysa!

DONA CÔYSA: EU SOU MARAVILHOSA! =D

REPÓRTER: Fica tranquila que essas fotos só vão sair na Revista Carrancas depois do seu casamento com Dr. Dinheireri, viu!

DONA CÔYSA: Imagina, minha filha! Eu não tenho essas superstições não! Depois que eu fiz tudo direitinho e, mesmo assim, fiquei viúva, não me importo mais com bobagem, não.

A repórter e o fotógrafo saem do recinto. Dona Côysa continua provar seu vestido de noiva, ao lado da costureira. Senhorita Balneária, a jovem assessora de Dona Côysa, também tira muitas e muitas fotos.

DONA CÔYSA: Ai, tá pesado esse vestido hein!

COSTUREIRA: É que eu coloquei bastante ouro, como a senhora havia pedido.

DONA CÔYSA: Hum… verdade. Faz assim então: tira mais pano e deixa mais ouro no vestido.

COSTUREIRA: Pode deixar ;-)

BALNEÁRIA: É o vestido mais dourado de todas as noivas que o Dr. Dinheireri já teve!

DONA CÔYSA: Claro, né meu bem! Eu quero ser a especial! É meu segundo casamento na igreja na vida e eu quero botar pra fud… digo, pra quebrar!

BALNEÁRIA: Dá uma olhada nas fotos, Dona Côysa! Olha que lindas!

Dona Côysa fica empolgada com as fotos!

DONA CÔYSA: Gente, como eu tô gatosa! Essa lipo que eu fiz no bucho me deixou gatinha sensação! Eu devia era posar pelada!

BALNEÁRIA: É a senhora quem diz… ^_^

DONA CÔYSA: Manda pro Dinheireri!

BALNEÁRIA: Mas, Dona Côysa! O noivo não pode ver o vestido da noiva antes do casamento! Isso não traz boa sorte =O

DONA CÔYSA: Vê lá se eu acredito nessas bobagens, minha filha! Envia logo que sou eu quem paga a conta desse seu celular!

BALNEÁRIA: Sim senhora… ¯\_()_/¯

DONA CÔYSA: Tá tudo certo aí, tia?

COSTUREIRA: Tá sim, mas eu não sou sua tia ;-)

DONA CÔYSA: Whatever… eu acho que já tá boa essa prova. Preciso me preparar porque de tarde tem matéria com a TV Lama.

BALNEÁRIA: Uau, Dona Côysa! Semana que vem tem Revista Carrancas, hoje tem TV Lama! A senhora vai ficar famosa mesmo, hein!

DONA CÔYSA: E hoje tem matéria publicada no jornal O Bolovo que eu fiz anteontem, tá meu bem!? Tô rica, bonita, bem-noivada e famosona!

Enquanto isso, no Morro do Rato Morto…

Claudição chega com uma sacola da farmácia. Cheia de remédios e alguns pacotes de biscoitos recheados. Artemísio olha pra sacola como cão no cio.

ARTEMÍSIO: Bolacha! Eu quero bolacha!

CLAUDIÇÃO: O senhor merecia era uma bolacha na cara, isso sim! ò.Ó

ARTEMÍSIO: Sem frescura de “biscoito ou bolacha” agora, viu!

CLAUDIÇÃO: Eu trouxe os REMÉDIOS do senhor. Isso é que é importante! O médico já disse que o senhor não devia mais comer essas bolachas cheias de aditivos químicos! PRONTOFALEI.

ARTEMÍSIO (meio choroso): Puxa vida, filho! Deixa eu ser feliz :'(

CLAUDIÇÃO: Tá… mas isso não tá certo!

ARTEMÍSIO: Trouxe o jornal que eu te pedi?

CLAUDIÇÃO: A Folha de São Parvo tava em falta. Daí eu trouxe O Bolovo mesmo…

ARTEMÍSIO: Droga…. Bem… vai com ele mesmo.

Artemísio abre o jornal e começa a olhá-lo.

CLAUDIÇÃO: O senhor vai ler o jornal? =O

ARTEMÍSIO: Claro, meu filho! Acha que eu não leio antes de ir ao banheiro para usar em… outras coisas?

Enquanto isso, numa mesa de bar muito chique…

José Roberto Dinheireri, pai de Dr. Dinheireri, conversa com um avulso sobre a sua situação…

JOSÉ ROBERTO DINHEIRERI: Sabe, Ezequias… eu sinto que falhei enquanto pai. E agora, parece que vou pagar bem caro por isso.

EZEQUIAS: Bobagem, meu caro! Filhos são assim mesmo… arredios.

JOSÉ ROBERTO DINHEIRERI: Eu acho que deveria ter disfarçado melhor as minhas dores de momento e convivido melhor com meu filho, pra poder ensinar pra ele, com todas as letras, a forma de separar uma mulher decente de uma pistoleira.

EZEQUIAS: Mas por que o senhor implica tanto com a noiva de seu filho?

JOSÉ ROBERTO DINHEIRERI: Ela me faz lembrar de coisas que eu quero esquecer… a pobreza, por exemplo.

EZEQUIAS: O senhor já foi pobre?

JOSÉ ROBERTO DINHEIRERI: Ora, você me respeite! Ò.ó

EZEQUIAS: Tá bom, não se irrite.

JOSÉ ROBERTO DINHEIRERI: Não falo de uma pobreza qualquer… é uma pobreza de espírito. Sinto que aquela desqualificada, mesmo com trinta trilhões de dólares no colo, sempre agirá como uma pobretona cafonérrima… argh!

EZEQUIAS: Hihihi…

JOSÉ ROBERTO DINHEIRERI: Tá rindo de quê, lesado?

EZEQUIAS: Nada não, meu caro. (Em pensamento) Em pleno meio dia usando esse hobby de seda dourado horroroso e vem falar de cafonice alheia…

JOSÉ ROBERTO DINHEIRERI: VOCÊ TÁ COM CARA DE QUE TÁ TIRANDO SARRO DE MIM EM PENSAMENTO!!! Ò.ó

EZEQUIAS: Ih, sai do meu pé, chulé!

Ezequias se levanta e deixa José Roberto Dinheireri sozinho.

JOSÉ ROBERTO DINHEIRERI (falando sozinho): Preciso dar um jeito de separar meu filho daquela declassificada!

Enquanto isso, no SPA…

Dr. Dinheireri chega em seu carrão importado para no estacionamento do spa. Dona Côysa está lá, só de roupão e toalha na cabeça. Toda sorridente. Dinheireri fica assustado com a situação de sua noiva em pleno estacionamento, mas disfarça um pouco.

DR. DINHEIRERI: Olha aí, amor… [selinho] Você tá… diferente.

DONA CÔYSA: Eles acabaram de sair! Não queria que você demorasse tanto.

DR. DINHEIRERI: Eles quem?

DONA CÔYSA: Os jornalistas, ora.

DR. DINHEIRERI: Ótimo! Não queria ver aqueles otários!

DONA CÔYSA: Amor! =O

DR. DINHEIRERI: Vamos entrar logo nesse spa!

Dentro do spa…

DR. DINHEIRERI: E então, amor… gostou desse spa?

DONA CÔYSA: Amei de todo o coração! ♥ ♥ ♥

DR. DINHEIRERI: Tô pensando em comprar ele todinho pra você. Com tudo dentro, inclusive os funcionários. Até a alma deles eu passo pro seu nome… ^_^

DONA CÔYSA: Ai, que romântico *_*

De volta ao Morro do Rato Morto…

Seu Artemísio, sentado em sua poltrona, lê calmamente o jornal. Seu filho, Claudição, está na outra poltrona, assistindo à televisão. Quando seu Artemísio subitamente grita:

ARTEMÍSIO: É ELA!!!!!!!!!!!

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Ela quem? Conseguirá Dona Côysa se casar? Sobreviverá o jovem Claudição ao susto causado por seu pai? Não perca o próximo capítulo de CÔYSAS DA PAIXÃO!


Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.