Header Ads

header ad

CÔYSAS DA PAIXÃO [Capítulo #9] – Questões de finanças



JOSÉ ROBERTO DINHEIRERI: Pelo menos o vestido de noiva você deveria pegar de volta.

DR. DINHEIRERI: Será, papai?

JOSÉ ROBERTO DINHEIRERI: E como não? Aquilo lá custou mais que a Ponte Rio-Niterói! Pegar aquele vestido de volta é o mínimo que você deveria fazer pra amortizar um pouco do preju desse casamento frustrado!

DR. DINHEIRERI: Não sei se devo proceder assim. Fico com medo de parecer patifaria.

JOSÉ ROBERTO DINHEIRERI: Patifaria maior que o namoradinho dela aparecer na porta da igreja montado num cavalo branco… quer dizer… num cavalo encardido, isso não há!

DR. DINHEIRERI: Nisso o senhor tem razão.

No outro dia…

Balneária decide subir o Morro do Rato Morto, para conversar pessoalmente com Artemísio e seu filho. Apesar de quase morrer de medo, ela consegue chegar à casa do antigo namoradinho de Dona Côysa e seu filho.

CLAUDIÇÃO: Olha quem chegou aqui, papai! (sorridente) É a Dona Balneária, assistente pessoal da Dona Côysa!

BALNEÁRIA: Menos… no momento estou aqui só como amiga!

CLAUDIÇÃO: Pode entrar, moça. Se senta ali no sofá. Só toma cuidado com esses pelos do cavalo aí.

Balneária (espirrando): ATCHÔÔÔôôÔôôôHHhhhHHH!!!! Pelos, né! Tô percebendo…

CLAUDIÇÃO: É que meu pai comprou um produto aí pra embranquecer mais o pelo do cavalo… e realmente embranqueceu. Só que aí deu essa soltadinha de pelos né… sabe como é.

BALNEÁRIA: Aham… tá tranquilo… ATCHÔÔÔôôÔôôôHHhhhHHH!!!!

ARTEMÍSIO (empolgado): Ô, Dona Balneária! Vou passar um café pra senhora.

BALNEÁRIA: Não precisa, seu Artemísio…

ARTEMÍSIO: Eu faço questão!

Balneária (sussurrando): Droga… =(

Enquanto isso, alguém toca a campainha e espera à porta da casa de Dona Côysa. Ela vai até a porta, abre e não gosta muito do que vê.

DONA CÔYSA (entediada): Dinheireri Pai! O que faço para merecer visita tão ilustre…

JOSÉ ROBERTO DINHEIRERI: Vim para apanhar de volta o vestido de noiva.

DONA CÔYSA: Como é que é?

JOSÉ ROBERTO DINHEIRERI: Minha senhora… nem Cleópatra usou um vestido tão caro em toda a sua vida. Eu não posso permitir que a senhora continue em poder dele.

DONA CÔYSA: Mas isso é uma patifaria sem tamanho!

JOSÉ ROBERTO DINHEIRERI: (breves risos) De patifaria a senhora entende, presumo.

DONA CÔYSA: Eu não vou devolver vestido nenhum, simplesmente porque isso não tem o menor cabimento.

JOSÉ ROBERTO DINHEIRERI: Ah, mas agora a senhora tá mostrando as suas garras! Eu sabia que meu filho não deveria se casar com você.

DONA CÔYSA: Pois saiba o senhor que não vou devolver vestido nenhum, e sabe por quê? Porque eu ainda vou me casar com seu filho. E quando estiver casada com ele, vou mandar o senhor pr'um asilo no Suriname, no meio da Floresta Amazônica!

Dona Côysa bate a porta na cara de seu José Roberto Dinheireri. O velho fica fulo de raiva.

Voltando à casa de Artemísio.

ARTEMÍSIO: Você tem certeza que não quer mais nenhuma xícara de café?

BALNEÁRIA: Nem a xícara, nem o café e nem os pelos do cavalo… ATCHÔÔÔôôÔôôôHHhhhHHH!!!!

ARTEMÍSIO: Você me desculpe. Mas, pelo menos, agora o cavalo ficará branquinho da silva, do jeito que minha Coysinha gosta.

BALNEÁRIA: Como assim, seu Artemísio?

CLAUDIÇÃO: Papai ainda não desistiu de se casar com a tal da Dona Côysa.

BALNEÁRIA: Mas isso é muito grave, seu Artemísio. ATCHÔÔÔôôÔôôôHHhhhHHH!!!! Ela não quer nada com o senhor!

ARTEMÍSIO: Mas como não? Vocês não viram como ela suspirava por mim na porta daquela igreja?

BALNEÁRIA: Seu Artemísio… se o senhor realmente ama a Dona Côysa, deveria me ajudar… ATCHÔÔÔôôÔôôôHHhhhHHH!!!! …em meu plano.

ARTEMÍSIO: E qual o seu plano, minha querida?

BALNEÁRIA: Eu quero levar o senhor até a sede da Dinheireri Corporation, e lá o senhor… ATCHÔÔÔôôÔôôôHHhhhHHH!!!! …explica tudo pro Dr. Dinheireri. Diz que foi tudo um mal entendido, que a Dona Côysa nem sabia… ATCHÔÔÔôôÔôôôHHhhhHHH!!!! …que o senhor ia aparecer naquela igreja.

ARTEMÍSIO: Como é que é? Eu nunca vou fazer isso U_U

CLAUDIÇÃO: Ô, papai… considera a ideia da moça, vai! Vamos logo acabar com essa fita errada!

ARTEMÍSIO: Eu não vou colaborar com essa mentira. Está escancarado na cara da minha Coysinha que ela estava esse tempo todo morrendo de saudade de mim. Eu não vou desistir até que EU a leve para o altar e EU me case com ela.

BALNEÁRIA: Ela gosta… ATCHÔÔÔôôÔôôôHHhhhHHH!!!! … é do Dr. Dinheireri, seu Artemísio! Aceita aí, vai!

CLAUDIÇÃO: Aceita, que dói menos.

BALNEÁRIA: Dr. Dinheireri e Dona Côysa se amam de verdade, e precisam da colaboração do senhor… ATCHÔÔÔôôÔôôôHHhhhHHH!!!! … para desfazer esse terrível mal-entendido.

ARTEMÍSIO: Aquele casamento é um mal-entendido!

BALNEÁRIA: Bem… vou deixar um cartão de visita com o senhor. Se mudar de ideia e quiser colaborar para reunir aquele casal de pombinhos, por favor, entre em contato.

ARTEMÍSIO: Eu não vou fazer isso U_U

BALNEÁRIA: De coração, seu Artemísio! (olhando bem nos olhos de Artemísio) O senhor precisa de uma mulher que ame o senhor de verdade. Deixe de sofrer!

ARTEMÍSIO: Essa mulher já existe! É a minha Côysinha!

BALNEÁRIA: Afff! Cansei, viu! ¬_¬

ARTEMÍSIO: Não fica braba comigo.

BALNEÁRIA: Não, eu não tô não…

Balneária e Artemísio trocam olhares benevolentes. Claudição aprecia a cena, com algum estranhamento.

BALNEÁRIA: Pois bem… errr…. Meu cartão tá aí…

CLAUDIÇÃO: Tá certo.

BALNEÁRIA: Tchau.

Balneária vai embora, enquanto Claudição se aproxima de seu pai, trazendo consigo uma dúvida.

CLAUDIÇÃO: Eu estou enganado, ou rolou um clima entre o senhor e a tal Balneária?

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

E agora? Existirá algo entre Balneária e Artemísio? Conseguira Dona Côysa se casar com Dr. Dinheireri? Não percam o próximo capítulo de CÔYSAS DA PAIXÃO.


Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.