CÔYSAS DA PAIXÃO [Capítulo #12] – Embolações



Claudição usa todo seu fôlego para encher várias e várias bexigas em formato de coração. Está quase se sufocando. Artemísio logo entra pela porta de casa, trazendo dois buquês de flores amarelas e brancas. Está bastante sorridente.

CLAUDIÇÃO: Pai, pelo amor de Deus, não me diz que pegou essas flores no cemitério…

ARTEMÍSIO (meio sem jeito): Errr… claro que não, filho!

CLAUDIÇÃO: O senhor jura?

ARTEMÍSIO: Ora, que marmota é essa? O pai aqui sou eu!

CLAUDIÇÃO: E aí, tá bom de bexiga?

ARTEMÍSIO: Encheu todas?

CLAUDIÇÃO: Quase todas.

ARTEMÍSIO: Então enche todas.

CLAUDIÇÃO: Puxa vida, pai! ='(

ARTEMÍSIO: Não quero mostrar miséria pra minha Coysinha. É o amor da minha vida, né filho…

CLAUDIÇÃO: Aham… muito amor.

ARTEMÍSIO: Senti uma ironiazinha sua ou é impressão minha?

CLAUDIÇÃO: Deixa eu encher essas bexigas que eu ganho mais.

ARTEMÍSIO: E o cavalo?

CLAUDIÇÃO: Tá lá fora, comendo aquele capim que o senhor trouxe…

ARTEMÍSIO: Maravilha!

CLAUDIÇÃO: Mas o senhor não achou meio estranho aquele capim não?

ARTEMÍSIO: Estranho como?

CLAUDIÇÃO: Sei lá… a cor dele…

ARTEMÍSIO: Seu racista-de-capim! Não é porque o capim não é assim tão verdinho que ele é ruim… U_U

CLAUDIÇÃO: O cheiro também… sei lá… tá meio tenso.

ARTEMÍSIO: Se o bicho tá comendo é porque serve!!! Vou lá escovar o pelo dele…

CLAUDIÇÃO: Tá tudo caindo. Se eu fosse o senhor, não escovava com muita força…

ARTEMÍSIO: Para de agourar meu cavalo!!! ò.Ó

Enquanto isso, na casa da família Dinheireri…

José Roberto Dinheireri está à mesa, comendo seu café da manhã. Seu filho entra pela porta da frente e vai até a mesa. Senta-se nela e começa a comer.

JOSÉ ROBERTO DINHEIRERI: Bom dia ainda se usa.

DR. DINHEIRERI: Claro! Bom dia, pai!

JOSÉ ROBERTO DINHEIRERI: Você não passou a noite em casa, não é mesmo?

DR. DINHEIRERI: Mas que saco, hein! Vai bancar a mamãe agora?

JOSÉ ROBERTO DINHEIRERI: Respeita a memória da sua mãe!

DR. DINHEIRERI: Tenho idade pra ser avô e o senhor querendo controlar minha vida! Vai torrar outro!

JOSÉ ROBERTO DINHEIRERI: Passou com a sua ex-noiva, presumo.

DR. DINHEIRERI: Presume certo.

JOSÉ ROBERTO DINHEIRERI: Eu te proíbo de voltar a encontrar essa mercenária!

DR. DINHEIRERI: Ah, é mesmo? HAHAHA!

JOSÉ ROBERTO DINHEIRERI: Você não deboche de seu pai!

DR. DINHEIRERI: Eu passo a noite com quem eu quiser! O senhor devia era embarcar num cruzeiro da quinta idade e parar de encher o saco de filho que já tem cabelo branco!

JOSÉ ROBERTO DINHEIRERI: Você vai reatar noivado com aquela mercenária?

DR. DINHEIRERI: Se o senhor está falando da Côysa, então… eu digo ao senhor que não sei. Mas estou pensando seriamente sobre o assunto.

JOSÉ ROBERTO DINHEIRERI: Então você reconhece que ela é uma mercenária?

DR. DINHEIRERI: Ah, papai! Me poupa desse tipo de picuinha que eu tô com preguiça. E, a propósito, esquece dessa história de querer tomar o vestido dela. Se quiser, faço um de rendinha pro senhor… ^_^

JOSÉ ROBERTO DINHEIRERI: Que desrespeito é esse? ò.Ó

DR. DINHEIRERI: Ah, relaxa pai! Vai viver sua vida!

Dinheireri se levanta da mesa e vai a caminho de seu quarto…

JOSÉ ROBERTO DINHEIRERI: Aquela desclassificada fez a mesma piadinha comigo, sabia? Disse que eu não cabia no vestido dela…

DINHEIRERI: (subindo a escada e ignorando…) Aham, papai…

JOSÉ ROBERTO DINHEIRERI: Droga! Aquela ordinária já está exercendo má influência no meu filho novamente! Ò.ó

A campainha de Dona Côysa toca. É Balneária quem está do outro lado da porta. Dona Côysa abre a porta com muita felicidade. As duas se abraçam e ficam pulando.

BALNEÁRIA: Eu não acredito que eu estou aqui novamente, Dona Côysa! Já estava começando a ficar com saudade! ^_^

DONA CÔYSA: Nem me fala, Balneária! Mas e aí, o que o Dinheireri disse?

BALNEÁRIA: Dr. Dinheireri falou pra eu ficar dando assistência pra senhora por enquanto, sem me envolver muito. Parece que ele quer esperar a poeira baixar mais um pouquinho antes de voltar com tudo, sabe? Mas eu já vejo ele todo caidinho pela senhora de novo!

DONA CÔYSA: Ai, que ótimo! Porque eu tenho hora marcada no salão de beleza hoje, e eu não fazia ideia de como ia pagar!

BALNEÁRIA: Então pode ficar tranquila, que ele me passou o cartão de crédito sem limites dele.

DONA CÔYSA: Sem limites total? O.O

BALNEÁRIA: A senhora pode comprar as luas de Júpiter, se quiser!

DONA CÔYSA: Quanto amoooooooooor!!!!! *_* ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥

BALNEÁRIA: E não é?

DONA CÔYSA: Então vamos ao shopping antes! Quero tomar aquele banho de loja nervosão!

BALNEÁRIA: É pra já ;-)

Algum tempo depois, no Morro do Rato Morto.

CLAUDIÇÃO: Papai, aquele recepcionista de salão de beleza ligou pra mim. Ele disse que a Dona Côysa tem horário marcado lá hoje, mas que acabou de ligar dizendo que vai mais tarde porque vai passar no shopping antes.

ARTEMÍSIO: Maravilha, filho!

CLAUDIÇÃO: Mas eu ainda acho que o senhor não deveria mais mexer nessa história.

ARTEMÍSIO: De jeito nenhum! Ela vai pro MELHOR LUGAR NO UNIVERSO PRA FAZER UMA LOUCURA DE AMOR! Apanha logo essas bexigas e põe o cavalo branco na carroceria da Saveiro que nós vamos pro shopping agora mesmo!! ♥ ♥ ♥

CLAUDIÇÃO: Valei-me, Nossa Senhora!

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

E agora? Será que Claudição vai se livrar desse mico? Será que Dona Côysa vai sobreviver à tal “loucura de amor”? Não perca o próximo e emocionante capítulo de CÔYSAS DA PAIXÃO!!!


Mestre Risada Forçada®

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Instagram