Header Ads

ENVOLVENTE SUCESSAGEM [Capítulo #11] – Praça da pegação



Risoleta e Rodolfo Reginaldo estão no vuco-vuco, num banquinho meio afastado da praça vazia, quando são surpreendidos por um policial.

POLICIAL: Que desavergonhecênça é essa aqui, em plena luz do dia! ò.Ó

Rodolfo Reginaldo, apavorado, começa a vestir a cueca, enquanto Risoleta só faz cara de tédio.

RODOLFO REGINALDO: Calma, seu guarda! Eu posso explicar!

POLICIAL: Pode, e vai explicar lá na delegacia!

RODOLFO REGINALDO: Ela estava com um pequeno problema de coluna e… er…. E eu tava fazendo uma técnica tailandesa de massagem.

RISOLETA (irônica): Nossa, bem crível essa história… rsrsrs.

RODOLFO REGINALDO: Ô seu guarda, libera a gente aí, vai! A gente só veio aqui porque a praça tá vazia…

POLICIAL: Negativo! Vocês foram pegos num flagoroso perfeito, e vão responder por… por “safadeza ao ar livre”!

RISOLETA: “Safadeza ao ar livre”, que legal… bem jurídica essa acusação… rsrsrs

POLICIAL: Não deboche da autoridade, mocinha! Ò.ó

RISOLETA: Ai… prende logo, que preguiça… rsrsrs… e fica a dica: o nome do babado é “atentado ao pudor”. Fala lá no seu delega que você pode até ganhar um aumentinho… rsrsrs…

RODOLFO REGINALDO: Risoleta! Você não pode atrapalhar a gente assim, desse jeito! o.O

RISOLETA: Relaxa, queridinho… já respondi isso aí na justiça mais vezes… rsrsrs… tô escolada, já! E aí, seu guarda. Vambora?

Enquanto isso, no funeral de Halvarino.

CARLOS LEOPOLDINO: Puxa vida, dona Reginete! Eu nunca imaginei que fosse ficar tão chateado com a morte do Halvarino. Ele esculachava a gente, mas era boa pessoa.

REGINETE: É. Nem me fale… =(

CARLOS LEOPOLDINO: Mas agora eu acho que isso aí tem interesse por trás! E deve ser o mesmo que levou a Mistiane a pôr fogo na fábrica de camisinhas?

REGINETE: Como é que é? Você acredita na culpa da Mistiane?

CARLOS LEOPOLDINO: Ué… sim. Você não?

REGINETE: N-não, ora! o.O

CARLOS LEOPOLDINO: Seu Halvarino deve ter conseguido uma prova cabal de que ela fez toda a canalhice. Daí ela fugiu da cadeia e matou ele! É, é isso… U_U

REGINETE: Você acredita piamente nisso?

CARLOS LEOPOLDINO: Foi exatamente isso que aconteceu, Reginete! A polícia vai chegar a essa conclusão, só não vê quem não quer!

REGINETE: Ai… sei lá… ainda parece meio cedo pra saber.

CARLOS LEOPOLDINO: A senhora ainda vai ver a polícia confirmando minha teoria.

REGINETE (desconfiando): E tudo isso só porque ela te pegou de agarração com a Risoleta?

CARLOS LEOPOLDINO (arrogante): Claro! Eu não sou só um cara atraente, sou um sonho de consumo! Se a senhora tivesse uns 50 anos a menos, certeza que também ia se insinuar pra mim.

REGINETE (irônica): Ôôô… Com certeza certezíssima… ¬_¬

CARLOS LEOPOLDINO: Bem, agora me dá uma licencinha aí que eu vou lá fora fumar um pouquinho.

REGINETE: Ué… achei que você tinha parado.

CARLOS LEOPOLDINO: Não sou tão bom em conservar conquistas… ='(

Esse era apenas o primeiro esbirro de tristeza do pobre CARLOS LEOPOLDINO. Ele mal poderia imaginar que, ao sair fora da capelinha do velório, daria de cara com uma cena agoniante: Risoleta, em trajes mínimos, sendo trazida por um policial junto a outro rapaz, também quase nu.

RODOLFO REGINALDO: Puxa, seu guarda! Tinha que humilhar a gente passando bem na frente do velório do Halvarino? ='(

RISOLETA: Humilhação sou eu passar toda gostosa na frente dessas recalcadas e mostrar meu bumbum na nuca… rsrsrs… ai, gente que me dá uma preguiça!

CARLOS LEOPOLDINO: RISOLETA!!!! Quem é esse cara?

POLICIAL: Se afasta, rapaz! Esses dois foram presos num flagoroso perfeito lá na pracinha da cidade!

CARLOS LEOPOLDINO: NÃO PODE SER!!! =O

RISOLETA: Ai, como seu fosse obrigada… rsrsrs… para de me dar tédio!!!

RODOLFO REGINALDO: Esse cara é seu namorado?

RISOLETA: CREDO, ME RESPEITA!

POLICIAL: Para de barraco, vamo pra delegacia!

CARLOS LEOPOLDINO: Eu vou sair na porrada com esse prego! Ò___ó

RISOLETA: AAAAAAAAAI, QUE PREGUIÇA!!! Vai tentar fio-terra sentando na toca do tatu, vai! Rsrsrs… Gente, alguém me leva pra Ibizzzzaaaaaa!

POLICIAL: Primeiro, cê vai pro xilindra! VAMBORA! Ò.ó

O policial os arrasta com mais raiva, enquanto Carlos Leopoldino fica olhando a cena e sentindo corneado.

Perto dali, Cleoniça Pipoqueira prepara seu carrinho abarrotado de pipoca. Está doida para lucrar muito hoje! Nunca viu tanta gente junta na cidade que não nesse bendito funeral.

De forma surpreendente, porém, ela recebe uma mensagem de áudio em seu celular.

CLEONIÇA PIPOQUEIRA: Ué… número desconhecido?

Cleoniça põe a mensagem em execução. Qual é, então, sua enorme surpresa. A voz é de Mistiane, a acusada de tocar fogo na fábrica de camisinha – foragida há um tempão!

MISTIANE (em gravação): “Dona Cleoniça, a senhora precisa disfarçar e acreditar em mim, por favor! Preciso de sua ajuda!”

Cleoniça fica assustada.

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
E agora? Cleoniça Pipoqueira ajudará Mistiane? O filho de Dona Sarityellen irá mesmo dormir no xilindró? Não perca o próximo capítulo de ENVOLVENTE SUCESSAGEM.



Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.