ENVOLVENTE SUCESSAGEM [Capítulo #9] – Indo às últimas consequências


O Delegado Del Rêgo interroga a espevitada Risoleta.

DELEGADO DEL RÊGO: … e desde quando, então, que a senhorita Mistiane nutria alguma rusga contra você?

RISOLETA: Ih, eu sei lá hein!? Acho que foi desde que eu peguei o homem dela… aquela frouxa!

DELEGADO DEL RÊGO: E antes, não?

RISOLETA: Antes eu nem sabia da existência daquela apagadinha, seu guarda…

DELEGADO DEL RÊGO: Por favor, EU NÃO SOU 'SEU GUARDA'. Sou delegado, ouviu bem?

RISOLETAÉ… não é lá um grande de um delegato… rsrsrs… Mas olha… mesmo não sendo isso tudo, o senhor não é de se jogar fora não, sabia?

DELEGADO DEL RÊGO (encabulado): Bem… então… e além do jovem Carlos Leopoldino, namorado da senhorita Mistiane, a senhorita se relacionou com mais alguém naquela fábrica?

RISOLETA: Vixe, seu delegado! Eu passei foi o rodo! Peguei geral… rsrsrs… até lance lérrrbico com uma ex-supervisora já rolou. Só não põe aí no depoimento não, porque ela era casada com um cara… rsrsrs

DELEGADO DEL RÊGO (surpreso): Errr… então, tá bem.

RISOLETA: E ela nem sabia, mas eu tinha traçado o marido dela também… rsrsrs…

DELEGADO DEL RÊGO: Senhorita Risoleta, foco no nosso depoimento. Por favor!

RISOLETA: Ai, só queria compartilhar esses momentos meus… rsrs…

DELEGADO DEL RÊGO: E a senhorita trabalhava em que setor?

RISOLETA: Sei lá… rsrsrs… eu só trabalhava na fábrica de camisinha porque gosto muito de usar, sabe como é? rsrsrs… E lá, não me faltava oportunidadjjjjje… será que eu vou ter uma oportunidade com o senhor também, doutor delegado!?

DELEGADO DEL RÊGO: A senhorita me respeite que eu sou autoridade!

RISOLETA: Ai, nada a ver… rsrsrs… Eu sei ser de luxo, nem… e aí, topa?

Del Rêgo começa a se sentir atraído, mas resiste.

RISOLETA: Esse seu nome Del Rêgo é porque, hein nem!? Porque se o cara curte um dedo nel rêgo eu também faço… rsrsrs… sou bem liberada! Mas e aí, delega!? Já é ou já era!?

DELEGADO DEL RÊGO: Já era! Adeus profissionalismo!!! =(

E o Delegado cai nos ~encantos~ de Risoleta, fazendo coisas com ela que até Deus duvida.

À tarde, durante o chá das cinco, na casa de Dona Sarityellen…

RODOLFO REGINALDO: Por que a senhora ficou tão diferente depois daquele bilhete estranho ontem?

DONA SARITYELLEN: Nada que já tenha chegado no jardim de infância, viu!? U_U

RODOLFO REGINALDO: Credo, que rancor! Eu vim pra te ajudar, sabia?

DONA SARITYELLEN: Só se for pra ajudar a dilapidar o que sobrou do patrimônio do seu pai, não é?

RODOLFO REGINALDO: Ah, em balada com certeza! HEHEHEHE… não tenha dúvida. Hoje mesmo tô querendo ir em uma.

DONA SARITYELLEN: PERDULÁRIO!!! Ò.ó

RODOLFO REGINALDO: Eu vi que agora tem uma galera na praça da cidade, dançando o funk o dia inteiro! HAHAHAHA! Que coisa mais ridícula, meu Deus. O quê que aconteceu com essa cidade!?

DONA SARITYELLEN: Ridícula, é? Espera só até a gente ter que fazer aquilo pra sobreviver também?

RODOLFO REGINALDO: Credo, que drama!

DONA SARITYELLEN: Você acha que eu tô exagerando, é? Você não perde por esperar!!!

Mais tarde, naquele mesmo dia…

As investigações conduzidas pelo Delegado Del Rêgo continuam.

DELEGADO DEL RÊGO: É verdade o que algumas pessoas me disseram de que a senhora era uma espécie de segunda mãe para a senhorita Mistiane?

REGINETE: TÁ ME CHAMANDO DE VELHA? Ò.ó

DELEGADO DEL RÊGO: Não!!! Longe de mim, Dona Reginete! Mas é que me disseram que a senhora era confidente e amiga de Mistiane na fábrica. E como a senhora é mais velha que a suspeita…

REGINETE: Eu sou o quê? Ò.ó

DELEGADO DEL RÊGO: (glup!) Errr…. Um pouquinho mais velha. Tipo… nem se consegue notar tanto a diferença… hehehe…

REGINETE: O senhor está dando todos os jeitos possíveis pra me chamar de velha! E eu não vou aceitar isso! Se insinuar alguma coisa, te denuncio por assédio moral! U_U

DELEGADO DEL RÊGO: O QUÊ!? VÊ SE PODE ISSO!? o.O

REGINETE: Duvida só pro senhor ver… U_U

DELEGADO DEL RÊGO: Bom… err… vamos reformular a pergunta. É verdade que a senhora era grande amiga e conhecida íntima da senhorita Mistiane?

REGINETE: É ruim, hein! De jeito nenhum! Ela que se lasque!

DELEGADO DEL RÊGO: É… já vi que vai ser difícil hoje… ¬_¬

Algumas horas depois, Halvarino finalmente se encontra com Dona Sarityellen. Os dois conversam um pouco num boteco xexelento da cidade vizinha, e logo saem para conversar num lugar mais reservado, ao lado de uma estrada de chão.

HALVARINO: E então, Dona Sarityellen. Conseguiu a grana que eu exigi.

DONA SARITYELLEN: Calma, que eu vou resolver a demanda do senhor. Mas antes, quero um esclarecimento. Por um acaso, foi o senhor quem mandou aquela brincadeira sem-gracíssima pra minha casa? Um envelope com um bilhete sem nexo?

HALVARINO: Eu lá tenho cara de quem tem tempo pra brincadeira, Dona Sarityellen?

DONA SARITYELLEN: TEM!! Ò.Ó

HALVARINO: Credo, Dona Sarityellen! =O

DONA SARITYELLEN: Então, se tiver sido o senhor, é melhor confessar antes que eu mesma descubra!

HALVARINO: Eu nunca enviaria bilhete nem pra senhora nem pra ninguém. Sou hightech. Só envio mensagens criptografadas por smartphone U_U

DONA SARITYELLEN: Sei…

HALVARINO: Mas que enrolação da bexiga! A senhora trouxe a grana que eu exigi ou será que eu vou ter que sair daqui e ir direto na delegacia confessar pro Delegado Del Rêgo que a Mistiane é inocente!?

DONA SARITYELLEN: ISSO, SEU ENERGÚMENO!!! Fala mais baixo que não ouviram em Saturno ainda… ¬_¬

HALVARINO: Afe, Dona Sarityellen! Não tem mais ninguém aqui. Só eu e a senhora!

DONA SARITYELLEN: Então pode celebrar. Dinheiro, dinheiro eu não trouxe. Mas trouxe esse belo colar de brilhantes aqui, ó. Deve valer, por baixo, uns 100 mil dólares. Dólares, ouviu bem!?

HALVARINO: Vixe… mas isso aqui não é biju não, Dona Sarityellen?

DONA SARITYELLEN: EU LÁ TENHO CARA DE MULHER QUE USA BIJUTERIA!? Ò.ó

HALVARINO: TEM!!!! U_U

DONA SARITYELLEN: Ora, seu… seu… DESELEGANTE!!!

HALVARINO: Eu não sei se deveria, mas vou confiar na senhora, viu!? Só que a senhora já fique sabendo que se esse colar for de biju eu jogo a lama no ventilador… pra não dizer que jogo outra coisa.

DONA SARITYELLEN: Aham… agora, vai embora. E vê se não dá bandeira de que tá com um negócio valioso desses debaixo do braço.

Halvarino ainda fica meio desconfiado de que o colar de brilhantes possa ser mais falso que uma nota de 3 reais. Mas como ele não tem nem mesmo uma nota de 3 reais pra chamar de sua na vida, decide arriscar. Coloca o tal colar num pano e o pano debaixo do braço.

Ele vai se afastando de Dona Sarityellen, que o assiste caminhar para longe. De repente, uma explosão…

BOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMM!!!!!!!!!

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
E agora? Que explosão foi essa? Que destino espera Dona Sarityellen? Onde está Mistiane? Não percam o próximo capítulo de ENVOLVENTE SUCESSAGEM.


Mestre Risada Forçada®

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Instagram