Header Ads

header ad

ENVOLVENTE SUCESSAGEM [Capítulo #17] – O jogador de futebol


Rodolfo Reginaldo, acompanhado de Risoleta (com um vestido curtíssimo), vão a um quiosque de praia. O jogador Bequinho Fricote já os espera sentado à mesa.

RODOLFO REGINALDO: Bequinho, meu querido! Quanto tempo!

BEQUINHO FRICOTE: Ô, rapaz! Mas quem é vivo sempre aparece, não é mesmo? Se eu soubesse que você tava andando aqui pelas bandas do Guarujá antes eu tinha te convidado pra dar um rolé.

RODOLFO REGINALDO: Eu também! Se soubesse que você tava por aqui antes já tinha entrado logo em contato. Mas com essa história de Real Madrid, né… você vive sempre bem ocupado!

BEQUINHO FRICOTE (dá uma risada meio nervosa, envergonhada): Pois é.

RODOLFO REGINALDO: Deixa eu te apresentar… essa aqui é a Risoleta.

BEQUINHO FRICOTE (beijando a mão de Risoleta): Encantado.

RISOLETA: Risoleta de Marco, toda ao seu dispôr.

RODOLFO REGINALDO: É a primeira vez da Risoleta aqui no Guarujá, você acredita?

BEQUINHO FRICOTE: Pra você ver…

RISOLETA: O Dodofinho me explicou que você joga no meio de campo. Adoro homens que entram no meio com bola e tudo… rsrsrs…

RODOLFO REGINALDO (comentando só para si): Isso aqui vai render, hein…

Enquanto isso, na suíte presidencial…

Dona Sarityellen passa maquiagem no rosto. Decide escolher um belo brinco para adorná-lo. Mas quando abre sua caixa de joias dá de cara com mais um dos terríveis bilhetes:

VOCÊ VAI ACABAR NUM LUGAR ONDE NÃO HÁ PISCINA NEM AR CONDICIONADO. FIQUE ESPERTA!



DONA SARITYELLEN: Jesus Maria José! O_O

Algumas horas depois, Rodolfo Reginaldo volta para o hotel, acompanhado de Risoleta. Ele bebeu um pouquinho. Já ela está cambaleante, não se aguentando em pé e falando mole de tão bêbada.

RISOLETA: Daíííí… o juiz, aquele corno… só apita gol… porque no pênalti o cara cai derrubado… HAHAHAHAHA.

RODOLFO REGINALDO: Risoleta, pelo amor de Deus! Você já não tá falando coisa com coisa. Se controla!

RISOLETA: Eu não tô falando nada de errado nããããão… primeiro que eu nem bebi direito. Foi só uns três golinhos de jurubeba.

RODOLFO REGINALDO: Não me faz passar vexame, pelo amor de Deus.

O pedido é em vão. Risoleta entra no hotel gritando, quase derruba um vaso caríssimo, se insinua para os funcionários do hotel.

Depois de muito esforço, o rapaz consegue carregar a jovem até o corredor de seu andar. A algazarra chama a atenção de sua mãe, que sai do quarto para averiguar o que está acontecendo.

DONA SARITYELLEN: Mas que gritaria é essa? Isso aqui virou a feira do carrinho de muamba agora, é?

RISOLETA: Iiiih, relaxa sogrinha! Porque eu, ó… tô relaxadíssssssima! HAHAHAHAAH!

DONA SARITYELLEN: Sua ex-patroa, talvez! Sua sogra, jamais! Desfrutavelzinha alcoólatra!

RODOLFO REGINALDO: Calma, mamãe! Eu estou resolvendo tudo. Daqui a pouco eu vou no seu quarto!

Poucos minutos depois, no quarto de Dona Sarityellen…

RODOLFO REGINALDO: Pronto, mamãe. Já dei um sossega-leão e ela está dormindo feito uma pedra.

DONA SARITYELLEN: Francamente, meu filho! Não tem como levar essa figurinha desprezível para as Bahamas com a gente!

RODOLFO REGINALDO: Eu sei mamãe, e eu já estou dando um jeito nisso.

DONA SARITYELLEN: Que jeito, hein!?

RODOLFO REGINALDO: Não me faça muitas perguntas. Mas, em breve, ela mesma vai se afastar de mim, achando que está fazendo o melhor negócio da vida dela.

DONA SARITYELLEN: Ótimo! Dá logo um passa-fora nessa zinha! E nunca mais me apareça com nenhuma namoradinha insolente desse tipo!

RODOLFO REGINALDO: Pode deixar, mamãe…

Poucos minutos depois, na frente do hotel.

Rodolfo Reginaldo aguarda ansiosamente pelo momento em que Tabatah Soraya (na verdade, Mistiane) sairá do serviço no hotel. Isso finalmente acontece, e Mistiane se finge de surpresa.

MISTIANE: Nossa, o senhor veio mesmo!

RODOLFO REGINALDO: Quando eu prometo uma coisa, eu cumpro!

MISTIANE: Eu vi o escarcéu que a sua namorada fez mais cedo no hall de entrada do hotel.

RODOLFO REGINALDO: Bem, ela não é minha namorada.

MISTIANE: Sei…

RODOLFO REGINALDO: É uma peguete, no máximo um contatinho… não demora muito e vou mandar ela tomar o caminho da roça.

MISTIANE: Nossa, que deselegante!

RODOLFO REGINALDO: Me desculpe, Tabatah Soraya! Mas é que não consigo mais me esquecer de você desde o dia em que nos conhecemos e você foi tão doce e prestativa comigo.

Mistiane desamarra o cabelo e o deixa solto e esvoaçante. Logo Rodolfo Reginaldo percebe que sua ~amada~ é ruiva. Claro que isso faz parte do disfarce de Mistiane.

RODOLFO REGINALDO: Nossa! A cada segundo te acho mais linda!

MISTIANE: Ai, seu Rodolfo Reginaldo. Não fala assim comigo. Eu vou sempre guardar o senhor num cantinho do meu coração. Mas a gente nunca vai poder ter qualquer coisa. Somos de classes diferentes, mundos diferentes…

RODOLFO REGINALDO: Mas que bobajada! Eu realmente estou muito interessado em você!

MISTIANE: Sei…

RODOLFO REGINALDO: Nos próximos dias eu e minha mãe estaremos embarcando para as Bahamas. Eu quero que você venha com a gente!

MISTIANE: Sabe quando a sua mãe vai aceitar que você se envolva com uma camareira de hotel? Jamais! É melhor pararmos por aqui.

RODOLFO REGINALDO: E ela lá é alguém pra deixar ou não deixar? Quem toma as decisões sou eu!

MISTIANE: É uma loucura eu fugir com o senhor assim! A gente nunca sequer ficou juntos. E se a gente não combinar?

RODOLFO REGINALDO: Não seja por isso!

Rodolfo Reginaldo abre aquele sorrisão cafajeste para Mistiane, indica uma pedra grande à beira da praia e os dois vão para lá. Atrás daquela pedra, tudo acontece. TUDO MESMO.

No outro dia, logo pela manhã, em Vila dos Bairros, a prefeita Fafécia vai ao coreto de sempre e chama os habitantes da cidadezinha para ouvirem suas atualizações sobre a situação difícil pela qual passam.

FAFÉCIA: Meus queridos concidadãos. Houve um pequeno revés nos rumos de nossa cidade. Nós iremos receber agora um senhor chamado Oitivo, enviado pela Seguradora Dinheireri. Ele vai contar o que será feito com a massa falida, queimada e esturricada da fábrica de camisinhas.

Burburinho geral. Todo mundo ansioso em saber o que acontecerá.

OITIVO: Bom dia, meus estimados amigos, moradores dessa tão aprazível cidadezinha. Infelizmente, os Preservativos Afoganso mudaram de ideia e não comprarão mais a fábrica de camisinhas. Porém, a própria Seguradora Dinheireri LTDA., consciente de seu papel social e como meio de pedir desculpas ao povo dessa cidade por haver entregue o prêmio do seguro relativo ao incêndio da fábrica antes que tudo fosse apurado… MUITO EMBORA TENHAMOS SIDO PRESSIONADOS A ISSO (Oitivo olha torto para a prefeita, que finge que não é com ela) … nós mesmos iremos comprar e reformar a fábrica.

REGINETE: A Dinheireri LTDA. vai vender camisinha?

OITIVO: Não, não… nada disso. Estamos comprando o prédio, mas em vez de camisinhas, produziremos bombas através de uma joint venture e vocês conhecerão mais detalhes em breve!

Todo mundo se olha com estranhamento.

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -


E agora? Será que os ex-funcionários dos Preservativos Fofada saberão trabalhar com bombas? Qual será o plano de Rodolfo Reginaldo? Qual será o plano de Mistiane? Não percam essas respostas no próximo, emocionante e imperdível capítulo de ENVOLVENTE SUCESSAGEM!

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.