Header Ads

header ad

DEUS ME DIBRE DESSE AMOR [Capítulo #5] – A caridade de quem me detesta



Jadice chega em casa mancando, com a cara arranhada e uns rasgados na roupa. Dona Filipênsia, sua mãe, fica apavorada.

DONA FILIPÊNSIA: Mas o que foi isso, Jadice? o.O

JADICE: Briguei com aquele estorvo da Navyleide.

DONA FILIPÊNSIA: Aquela sua amiga do time de futebol?

JADICE: Que “amiga”, mamãe… eu, hein!

DONA FILIPÊNSIA: Mas como é que isso aconteceu?

JADICE: Eu tava tranquila na praça. Ela veio e me tirou do sério. Eu apanhei mas também bati. Ah, se bati!

DONA FILIPÊNSIA: E você acha normal essa selvageria, menina? Ò_ó

JADICE (entristecida): Ah, mamãe… me deixa em paz =’(

No outro dia, logo pela manhã…

Seu Reno entra em sua casa de fininho, para não acordar ninguém. Em vão. Dona Sangra já o espera, sentada no sofá e com cara amarrada.

SEU RENO (assustando): AAAH!!! Que isso…

DONA SANGRA (se levantando do sofá): “Quê isso” digo eu. Isso são horas, Reno? Ò_ó

SEU RENO: Não se preocupe, meu amorzinho. Porque eu…

DONA SANGRA (estapeando as costas do marido): Você não passou a noite colocando seu tabule na esfiha aberta de nenhuma piranhazinha suburbana, passou!? (ಠ益ಠ)

SEU RENO: “Suburbana”? Então se a piranhazinha não for suburbana tá tudo certo. É isso?

DONA SANGRA: Não distorça o que eu disse, Reno!

SEU RENO: Eu passei a noite comemorando com o time. NÃO TINHA MULHER!!!! Satisfeita?

DONA SANGRA: Você vai ter que me explicar essa história direito porque senão eu…

SEU RENO (interrompendo): EU VOU É DORMIR!!! Boa noite, caramba!

Seu Reno sobre as escadas, deixando Dona Sangra bufando de raiva.

DONA SANGRA: Ai que ódio, que ódio, que ódio!!! Eu não tô acreditando que isso está acontecendo. Ô FIVEEEEEEELLLLLYYYYYYYYYYYYYYYYYYY! CADÊ VOCÊ, SUA SONGAMONGA!?

FIVELLY (aparece subitamente, ainda vestida com pijama): Chamou, Dona Sangra?

DONA SANGRA: Claro que chamei, sua múmia! Ainda estava dormindo? Ora, mas é uma serviçal muito da espaçosa mesmo. Afff… enfim…me prepare um chá de camomila adoçado com sete gotas de stevia. Aliás, sete não. Nove. Eu não estou dizendo oito, nem dez, viu!? Sua desatenciosa... vamos, rápido! Prepare torradas de pão de sete grãos também. 

FIVELLY: Sim, Dona Sangra!

DONA SANGRA: Se deixar queimar a torrada eu te torro a cara, viu!? Humpf... U_U







Enquanto isso, num cafofo na Vila Calamidade...

Uma moça saliente, chamada Rebecsy, veste suas roupas, enquanto Gelinho olha. Está tenso. A conheceu durante as comemorações na Reno Kibes na noite anterior. Não "compareceu" outra vez.

GELINHO: M-m-m-mas você precisa ir assim?

REBECSY: Hmmm... é que não tem porque eu ficar, entendeu?

GELINHO: Eu... eu... ISSO NUNCA ACONTECEU COMIGO ANTES!!! o_O

REBECSY: Aaaaah, tá bom... rsrsrs.

GELINHO: Eu juro!

REBECSY: Certo...

GELINHO: Espera mais um pouquinho. O "junior" costuma reagir melhor agora pela manhã.

REBECSY (sem dar bola): TchauzinhooooOoOoOooo...

GELINHO: Rebecsy, espera! Vamos... tipo... marcar outro dia!

REBECSY: Minha agenda está cheia. Além do mais... eu não anoto meus compromissos em CADERNO BROCHURA. Fui!

GELINHO (sozinho): Oh, puxa vida! ='(

Um pouquinho mais tarde, no centro de treinamento do Calamitoso F.C...

Jadice mal entra no vestiário e já leva um susto. Diante dela, junto com suas colegas e a técnica Mauricene, está Navyleide, toda regaçada. Curativos espalhados pelo corpo todo, um colar ortopédico no pescoço, um braço e uma perna engessados, uma faixa no joelho com manchas vermelhas (sangue, aparentemente).

TÉCNICA MAURICENE: Que papelão, hein, mocinha! Ò.ó

JADICE: Mas que patifaria é essa?

NAVYLEIDE (se fazendo de dolorida): Patifaria foi...AAI... o que você fezzz... AIISSSS... hmmmm... comigo ontem... AIIIHHH...

JADICE: EU NÃO FIZ ISSO COM VOCÊ, NAVYLEIDE!!! Ò_ó

TÉCNICA MAURICENE: Covarde! Além de espancar sua colega, não assume a gravidade do que fez! Que coisa feia Ò.ó

JADICE (fula de raiva): Foi ela que me provocou, técnica Mauricene! DAÍ A GENTE SAIU NA PORRADA. Eu bati nela mas ela também me bateu. Olha a minha cara arranhada!

NAVYLEIDE: Eu tinha que... AIHHH... tentar me defender... apesar de minha meiguice e delicadeza.

TÉCNICA MAURICENE: Pobrezinha! Não faz mais esforço não, amor. Inclusive, pode ir pra casa.

JADICE: Não tá vendo que isso é falcatrua, gente!? Pra ela ficar assim de verdade só se tivesse sido atropelada por um asteróide! Vê lá se eu conseguiria deixar essa quenganás nesse estado!

TÉCNICA MAURICENE: Não ofenda sua colega de time! Ò_ó

JADICE: Não tá vendo que ela tá fazendo tipo!?

NAVYLEIDE: Tô fazendo tipo sim... AIIHHHH... tipo triturada.

TÉCNICA MAURICENE: JÁ CHEGA!!! Jadice, eu pensei em te suspender do time. Mas, diante da gravidade do que aconteceu, eu decidi que VOCÊ TÁ É EXPULSA!!!

JADICE (apavorada): OOO QUUUUÊÊÊÊÊÊÊ O_O

NAVYLEIDE (sorrindo de orelha a orelha e logo se contendo): Nossa, não é pra tanto... ai.

JADICE: Técnica Mauricene, por favor! Eu não posso ser expulsa. Futebol é minha vida. É a razão do meu respirar. É a fonte do meu desejo de viver.

TÉCNICA MAURICENE: Pensasse nisso antes de descer o cacete na sua colega de time! Ora, sua... sua...

JADICE (se ajoelhando diante da técnica): Por favor, técnica Mauricene! Eu sem esse time vou me sentir morta em vida!

TÉCNICA MAURICENE: Nossa, que dramalhão barato! Seguinte, Jadice... por mim, você tá expulsa do time e pronto. MASSSSSSSSSSS, porém, contudo, todavia... se a Navyleide te perdoar por essa selvageria, até posso pensar em ainda te aceitar no time.

JADICE: Como é que é? Minha sorte está nas mãos da... NAVYLEIDE!?!?!

NAVYLEIDE (ainda se fazendo de dolorida): A vida... AAIII... tem dessas coisas, né... rsrsrs... AIAIHHHSSSSS...

TÉCNICA MAURICENE: Navyleide, você perdoa a Jadice?

NAVYLEIDE: Como posso perdoar se... aiiihhh... ela não me pediu perdão? ( ͡° ͜ʖ ͡°)

TÉCNICA MAURICENE: Vai pedir perdão para a Navyleide, Jadice? É sua única chance de eu permitir que você continue no time. Ou isso, ou RA RE RI RO RUA!!!

JADICE: (se contorcendo de raiva) Navyleide... você... me... hmmmm... perdoa? (ಠ_ಠ)

NAVYLEIDE: Ai... não sei se deveria... aaaaiiii... mas como sou bondosa e abnegada, e sigo os princípios de Dalai Lama... aiiii... eu te perdoo, Jadice!

JADICE (irônica): Mas que alma mais elevada, não é!? ( ͠° ͟ʖ ͡°) 

TÉCNICA MAURICENE: Ótimo. Tudo acaba bem quando termina bem. Agora, Navyleide, vá para sua casa descansar e se recuperar desses ferimentos.

NAVYLEIDE (saindo, fingindo dolorida): Vou com dor no coração... ai... queria muuuuuuito treinar hoje. Vim preparada para passar por cima da minha dor e... aaaaiii... treinar até 10 da noite. Mas vou ouvir a voz da experiência de nossa sábia professora. Beijos, meninas... aaaiii...

TÉCNICA MAURICENE: E você, Jadice, vai fazer uma série de 14 mil flexões debaixo do sol!!! 😠

JADICE: M-m-mas... mas... ಥ﹏ಥ

TÉCNICA MAURICENE: Nem mais nem meio mais! Já fiz demais por ainda te aceitar no time. Vamos! Um, dois, um, dois...

JADICE: Está bem, técnica Mauricene =(

TÉCNICA MAURICENE: Tá na hora de pôr mais disciplina nessas meninas! O próximo jogo está chegando!

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
E agora? Será que Jadice se sairá melhor no próximo jogo? E Gelinho? Quando é que ele vai fazer o bendito descarrego para voltar a comparecer? Não percam o desenrolar desta doce balbúrdia no próximo e empolgante capítulo de DEUS ME DIBRE DESSE AMOR.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.